terça-feira, 14 de junho de 2011

Tenossinovite de Quervain

A tenossinovite de Quervain é uma inflamação da bainha do longo abdutor e do curto extensor do polegar, no 1º compartimento radial do punho. Estes músculos são responsáveis pelo movimento de "afastar" o polegar dos restantes dedos. Sem entrar em grandes pormenores é necessário explicar que estes tendões atravessam um túnel que lhe permite "realizar força" sem que o sentido desta se altere. O consequente processo inflamatório da bainha causa a diminuição do espaço existente, comprimindo desta forma os tendões e dificultando/impossibilitando o seu deslize.

Esta situação está associada principalmente a gestos repetidos e a sobrecarga das atividades diárias das mãos e punho. Em alguns casos não há uma causa bem definida, porém pessoas que passam horas ao computador sem realizar as devidas pausas e exercicios de alongamento para mãos e punhos podem desenvolver este processo inflamatório.Todos os restantes trabalhos manuais repetitivos podem estar na origem desta tenossinovite. Os estudos indicam ainda que as mulheres a rondar os 50 anos são o grupo mais afectado. É igualmente comum o surgimento de sintomas no pós-parto. Isto deve-se a todos os cuidados prestados ao bebé e está directamente relacionado com o mau posicionamento das mãos nessas actividades.

A sintomatologia numa primeira fase surge de forma súbita caracterizando-se por dor mecânica e ardor. Essa dor pode estender-se à mão e ao cotovelo e ombro. Sinais inflamatórios como edema, rubor e calor podem também surgir nesta fase.
Numa segunda fase os principais sinais inflamatórios diminuem assim como a função daquele segmento. É também visível ligeira diminuição da força dos músculo afectados e rigidez articular com ligeira deformidade.
Na fase crónica da patologia a presença de deformidade é evidente acorrendo atrofia das várias estruturas afectadas.

O que deve fazer nesta situação:
O mais sensato nestas situações passa por iniciar a aplicação de gelo local e repouso, com o auxílio de uma ligadura funcional ou ortotese específica.
Numa fase inicial os sintomas podem ser atenuados ou até eliminados com a alteração dos gestos repetido/incorrectos. Se essa causa for abolida a sintomatologia desaparece.
Desta feita torna-se imperativo consultar o seu Fisioterapeuta ou Médico de forma célere.

A abordagem da Fisioterapia terá obrigatoriamente que ser realizada numa perspectiva global. Os tratamentos não se cingem ao punho e dedo; todo o membro superior, coluna vertebral, alterações posturais devem ser avaliados e corrigidos. Para além disso todos os comportamento/gestos desencadeantes devem ser identificados e posteriormente corrigidos/eliminados. Somente com esta abordagem global se torna possível obter resultados e perpetuá-los.


Elaborado com a colaboração da Ft. Ana Catarina Almeida

4 comentários:

Up-Filmes_Matotrevas disse...

CORRETO:
abdutor longo e extensor curto do polegar

Anónimo disse...

Atenção, há inflamação da bainha do curto extensor e do longo ABDUTOR do 1º dedo (polegar) - pertencentes ao primeiro compartimento (radial) do retináculo dos extensores.

Josivaldo Gualberto disse...

No meu caso essa dor estende-se ao ante-braço parece que criou alguns sistos ao longo de onde dói.já fiz Ultrasom,fissioterapias,e nada de resolver.Preciso encontrar um profissional competente pois nos quais já consultei,nenhum me ajudou

Anónimo disse...

http://www.ricardokaempf.com.br/index.php/doencascomuns/66-tenossinovite-de-quervain.html